Com desemprego e eleições, confiança do consumidor fica estável em setembro

Segundo levantamento, índice variou apenas 0,5 ponto em relação a agosto; 82% dos entrevistados avaliam as condições atuais da economia como ruins

Os reflexos da crise econômica e as incertezas sobre o segundo turno das eleições, marcado para o próximo dia 28, acabaram impactando o humor do consumidor brasileiro. De agosto para setembro, o Indicador de Confiança do Consumidor ficou estável, passando de 42,4 para 41,9 pontos. Os dados foram divulgados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) nesta sexta-feira (19).